A grande guerra Título original: "La grande guerra" 131 minutos Lançamento



Yüklə 64,5 Kb.
tarix18.05.2017
ölçüsü64,5 Kb.
A grande guerra

Título original: "La grande guerra"
131 minutos
Lançamento: setembro de 1959 (Itália) 

Oreste Jacovacci e Giovanni Busacca se conhecem durante a chamada para a Primeira Guerra Mundial. Mesmo tendo personalidades diferentes, unem-se no que diz respeito à sua falta de idealismo e no seu desejo de evitar qualquer perigo para sairem da guerra intactos. Eles, um grupo de civis e outros soldados passam por uma série de situações e treinamentos, até serem nomeados mensageiros e entrarem em contato direto com os inimigos.



Direção: Mario Monicelli.
Elenco: Vittorio Gassman, Alberto Sordi, Silvana Mangano, Folco Lulli, Bernard Blier, Romolo Valli, Vittorio Sanipoli, Nicola Arigliano, Geronimo Meynier, Mario Valdemarin, Tiberio Murgia, Livio Lorenzon, Ferruccio Amendola e Carlo D'Angelo.
Roteiro: Agenore Incocrocci, Carlo Salsa, Furio Scarpelli, Luciano Vincenzoni e Mario Monicelli.
Produção: Dino de Laurentiis.
Fotografia: Giuseppe Rotunno e Roberto Gerardi.
Arte: Mario Garbuglia.
Montagem: Adriana Novelli.
Música: Nino Rota.

Prêmios:
- Festival de Veneza – Leão de Ouro (junto com "Il generale della Rovere", de Roberto Rosselini, de 1959) - 1959.
- David di Donatello – melhor produção (junto com "Il generale della Rovere") e melhor ator (Alberto Sordi e Vittorio Gassman) – 1960.
- Nastro D'Argento – melhor direção de arte e melhor ator (Alberto Sordi) - 1960.
- Oscar – indicado a melhor filme estrangeiro – 1960.

Divórcio à italiana

Título original: "Divorzio all'italiana"
105 minutos
Lançamento: dezembro de 1961 (Itália) 

Ferdinando Cefalù, um barão siciliano, cansado de sua esposa Rosalia, apaixona-se pela jovem Angela, que passa os verões em seu palácio. Como o divórcio ainda não era praticado na Itália durante a década de 1960, ele decide matar a sua esposa, por saber que se o assassinato fosse cometido em prol da defesa de sua honra, a pena seria reduzida. Para tal, portanto, ele encontra em Carmelo, um antigo namorado de sua esposa, a figura ideal do amante e da comprovação de um adultério. Filme cujo título foi adaptado e cunhou o termo “commedia all’italiana”.



Direção: Pietro Germi.
Elenco: Marcello Mastroianni, Daniela Rocca, Stefania Sandrelli, Leopoldo Trieste, Lando Buzzanca, Saro Arcidiacono, Pietro Tordi e Angela Cardile.
Roteiro: Agenore Incrocci, Alfredo Giannetti, Ennio de Concini e Pietro Germi.
Produção: Franco Cristaldi.
Fotografia: Carlo di Palma e Leonida Barboni.
Arte: Carlo Egidi.
Montagem: Roberto Cinquini.
Música: Carlo Rustichelli.

Prêmios:
- Festival de Cannes – melhor comédia – 1962.
- Nastro d'Argento – melhor roteiro e melhor ator (Marcello Mastroianni) – 1962.
- Globo de Ouro – melhor ator em musical ou comédia (Marcello Mastroianni) – 1963.
- Oscar – melhor roteiro original e indicações para melhor diretor e melhor ator (Marcello Mastroianni) – 1963.
- BAFTA – melhor ator estrangeiro (Marcello Mastroianni) – 1964.

Ontem, hoje e amanhã

Título original: "Ieri, oggi, domani"
Episódios: "Adelina", "Anna" e "Mara"
111 minutos
Lançamento: dezembro de 1963 (Itália) 

Três histórias sobre três mulheres diferentes e o homem o qual elas amam. Em Nápoles, Adelina é casada com Carmine e foi presa por contrabandear cigarros, mas descobre que não pode ir para a cadeia enquanto estiver grávida. Anos após e sete filhos depois, Carmine está ligeiramente impotente e a cadeia parece inevitável. Em Milão, Anna dirige um Rolls Royce e está aborrecida ao lado de seu amante. O casal discute e troca palavras hilariantes passando por uma série de contratempos. Mara é uma garota de programa cujo encontro com o ansioso Augusto a todo instante é "interrompido" pelo vizinho, um seminarista cujo compromisso com a castidade está estremecido desde o momento em que a conheceu. 



Direção: Vittorio de Sica.
Elenco: Sophia Loren, Marcello Mastroianni, Aldo Giuffré, Tecla Scarano, Carlo Croccolo, Armando Trovajoli e Tina Pica.
Roteiro: Eduardo de Filippo e Isabella Quarantotti ("Adelina"); Alberto Moravia, Bella Billa, Cesare Zavattini e Lorenza Zanuso ("Anna"); Cesare Zavattini ("Mara").
Produção: Carlo Ponti.
Fotografia: Giuseppe Rotunno.
Arte: Ezio Frigerio.
Montagem: Adriana Novelli.
Música: Armando Trovajoli.

Prêmios:
- David di Donatello – melhor produção (junto com "Seduzida e abandonada", de Pietro Germi, de 1964 e "La ragazza di Bube", de Luigi Comencini, de 1963) melhor ator (Marcello Mastroianni) e melhor atriz (Sophia Loren) - 1964.
- Oscar – melhor filme estrangeiro – 1965.
- BAFTA – melhor ator estrangeiro (Marcello Mastroianni) – 1965.

Pão, amor e fantasia

Título original: "Pane, amore e fantasia"
86 minutos
Lançamento: dezembro de 1953 (Itália) 

Enviado para um vilarejo nas montanhas da Itália, Antonio Carotenuto, comandante de um batalhão decarabinieri deseja ter a sensual camponesa Mariella como sua noiva, sem saber que ela já está apaixonada por um dos seus subordinados. Enquanto isso, Annarela, parteira do vilarejo, começa a demonstrar seu interesse pelo comandante.



Direção: Luigi Comencini.
Elenco: Vittorio de Sica, Gina Lollobrigida, Marisa Merlini, Tina Pica, Amalia Pellegrini, Roberto Risso, Virgilio Riento, Maria Pia Casilio, Memmo Carotenuto, Vittoria Crispo, Nietta Zocchi, Gigi Reder e Fausto Guerzoni.
Roteiro: Ettore Maria Margadonna e Luigi Comencini.
Produção: Marcello Girosi.
Fotografia: Arturo Gallea.
Arte: Gastone Medin.
Montagem: Mario Serandrei.
Música: Alessandro Cicognini.

Prêmios:
- Festival de Berlim – Urso de Prata – 1954.
- Nastro D'Argento – melhor atriz (Gina Lollobrigida) – 1954.
- Oscar – indicado a melhor roteiro original – 1955.

Senhoras e senhores, boa noite

Título original: "Signore e signori, buonanotte"
112 minutos
Lançamento: outubro de 1976 (Itália) 

Sátiras no formato de episódios acerca da situação política e social da Itália durante a década de 1970. Diferente dos outros filmes baseados em episódios exibidos na mostra, este apresenta um formato orgânico, como se estivéssemos a assistir um programa de televisão. Os episódios dados, portanto, são no formato de comerciais ou de programas do fictício canal TG3, como o telejornal apresentado por Paolo T. Fiume. Outra diferença importante é a questão da assinatura: não está explícito nos créditos do filme qual diretor dirigiu qual trecho do filme, dando um caráter ainda mais "coletivo" a esta obra. Tópicos como a problematização do inglês enquanto "língua universal", a religião, a pobreza, o sexo e desmoralização dos militares tem destaque. 



Direção: Ettore Scola, Luigi Comencini, Luigi Magni, Mario Monicelli e Nanni Loy.
Elenco: Vittorio Gassman, Nino Manfredi, Marcello Mastroianni, Ugo Tognazzi, Adolfo Celi, Paolo Villaggio, Felice Andreasi, Carlo Bagno, Monica Guerritore, Senta Berger, Carlo Croccolo, Gabriella Farinon, Andréa Ferréol e Sergio Graziani.
Roteiro: Agenore Incrocci, Ettore Scola, Furio Scarpelli, Leo Benvenuti, Luigi Comencini, Luigi Magni, Nanni Loy, Piero de Bernardi, Ruggero Maccari e Ugo Pirro.
Produção: Franco Commiterri.
Fotografia: Claudio Ragona.
Arte: Lorenzo Baraldi, Lucia Mirisola e Luciano Spadoni.
Montagem: Amedeo Salfa.
Música: Antonello Venditti, Giuseppe Mazzucca, Lucio Dalla e Nicola Samale.

Uma vida difícil

Título original: "Una vita difficile"
113 minutos
Lançamento: dezembro de 1961 

Silvio Magnozzi, durante a guerra, conhece uma moça e a leva para Roma. Iniciada sua carreira jornalística, é condenado a três anos de prisão por ter participado dos tumultos de julho de 1948. Depois de liberto, procura trabalho, mas sem sucesso, devido aos seus princípios políticos. Sua mulher acaba por abandoná-lo e este se esforça por mudar os rumos de sua difícil vida.



Direção: Dino Risi.
Elenco: Alberto Sordi, Lea Massari, Franco Fabrizi, Lina Volonghi, Claudio Gora, Antonio Centa, Daniele Vargas, Franco Scandurra, Mino Doro e Renato Tagliani.
Roteiro: Rodolfo Sonego.
Produção: Dino de Laurentiis.
Fotografia: Leonida Barboni.
Arte: Mario Scisci.
Montagem: Tatiana Casini Morigi.
Música: Carlo Savina.

Prêmios:
- David di Donatello – melhor produção (junto com "Mundo cão", de Franco Prosperi, Gualtiero Jacopetti e Paolo Cavara, de 1962) – 1962.
Yüklə 64,5 Kb.

Dostları ilə paylaş:




Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©www.azkurs.org 2020
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə