Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 Resultados Monitoramento Fauna e Flora 2010



Yüklə 1.12 Mb.
Pdf просмотр
tarix12.08.2017
ölçüsü1.12 Mb.

 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 



 

1. Resultados Monitoramento Fauna e Flora 2010 

1.1. Vegetação 

Nas áreas da Veracel Celulose S/A já foram plaqueadas e identificadas mais de 

5000 árvores, abrangendo diversas fitofisionomias, como áreas de Floresta Ombrófila 

Densa (Floresta de Tabuleiro), Muçunungas, Florestas Paludosas e Florestas 

Ribeirinhas. Através destes levantamentos realiza-se o monitoramento da vegetação, 

buscando compreender um pouco da dinâmica dessas áreas naturais e identificar 

possíveis impactos da produção e colheita do eucalipto nas áreas nativas, a fim de 

mitigá-los. Além disso, são realizados levantamentos das espécies presentes no sub-

bosque das florestas e das áreas de plantio de eucalipto.  

Em 2010 foram amostrados duas Áreas de Alto Valor para Conservação, duas 

muçunungas, duas áreas de sub-bosque de eucalipto e duas áreas de conversão de 

eucalipto para vegetação nativa. No total foram encontradas 376 espécies arbóreas, 

distribuídas em aproximadamente 60 famílias botânicas, sendo 25 ameaçadas de 

extinção. 



 

Tabela 1: Lista das espécies ameaçadas de extinção encontradas nas áreas de Alto Valor para 

Conservação, baseadas nas listas de ameaças da IUCN e do IBAMA.

 

Nome científico 

Nome popular 

Santa 

Maria Taquara 

IUCN IBAMA

Arapatiella psilophylla  

arapati x 

VU 



Banara brasiliensis  

natalina x 

VU 

Brosimum glaucun  



leiteira x 

AM 


Chrysophyllum splendens   bapeba-pedrin x 

VU 



Couepia schottii  

milho-torrado-de-folha-larga x  x 

VU 

Eugenia prasina  



guruçú x 

VU 


Euterpe edulis  

juçara x 

AM 


Helicostylis tomentosa  

jaquinha x 

LR/lc 


Lecythis lanceolata 

sapucaia-mirim x 

LR/cd 


Lecythis lurida  

inuíba-vermelha x 

LR/cd 


Inga exfoliata  

ingá-miúdo x 

EN 

Inga hispida Schott. 



ingá-de-linhares x 

VU 


Manilkara bella  

paraju x 

EN 


Melanopsidium nigrum  

coroa-de-sapo x 

AM 

Melanoxylon brauna  



braúna-preta x 

AM 


Micropholis 

curubixá x 

LR/cd 


 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 



Nome científico 

Nome popular 

Santa 

Maria 

Taquara IUCN IBAMA

crassipedicellata 

Mollinedia marquetiana  

orelha-de-boi x 

VU 


Myrcia grandiflora  

orelha-de-burro x 

VU 

Myrcia lineata  



araçá-branco x 

VU 



Neomitranthes langsdorffii  araçá-coco x 

VU 


Ocotea odorifera  

canela-sassafrás x 

AM 

Pouteria aff. macahensis   bapeba-feroz x 



EN 


 

Pouteria bapeba 

bapeba-branca x 

VU 



Sclerolobium striatum  

ingá-louro x 

Syagrus botryophara  



Patioba x 

LR/nt 



  

 

 



Tabela 2: Resumo do número de indivíduos, número de espécies, famílias e índice de diversidade de 

espécies encontradas em todas as áreas visitadas em 2010 pela equipe de vegetação.

 

  

AAVC  



Sub-bosque 

Eucalipto Muçunungas 

Conversão

  

Taquara 



Sta. 

Maria 

Taquara Sta. Maria  Est. Veracel  Cedro  Peroba II 

N. de indivíduos 

601 

737 


1495 

700 


342 

59 


145 

N. de espécies 

204 

234 


49 

27 


26 

28 


35 

N. de famílias 

45 

53 


25 

20 


12 

15 


21 

Índice de 

Diversidade 4,81 

4,58 


2,38 1,87  0,89 2,51 

2,82 


 

 

Apesar das Muçunungas apresentarem um menor número de espécies 



comparativamente às outras áreas, elas são de extrema importância para a 

conservação da biodiversidade. Das 23 espécies encontradas nas muçunungas 60% são 

exclusivas, ou seja, ocorre apenas neste tipo de ambiente (ver Figura 1 - Diagrama de 

Venn), o que demonstra sua elevada importância ecológica.  

 


 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 

 

Figura 1: Diagrama de Venn mostrando o número de espécies arbóreas comuns entre Áreas de Alto 

Valor de Conservação, áreas de conversão e muçunungas.  

 

 

 



1.2. Mastofauna    

A mastofauna de médio e grande porte das Áreas de Alto Valor para a 

Conservação (AAVC) Taquara e Santa Maria (Figura 2) foram avaliadas no ano de 2010 

com duas campanhas (maio e setembro). Foram utilizados três diferentes métodos de 

amostragem para otimizar a obtenção de dados das espécies deste grupo que 

apresenta baixa abundância de indivíduos e consequentemente de registros. Utilizou-se 

transeções percorridas a pé com comprimento variável, armadilhas fotográficas e 

armadilhas de areia. Como resultado das coletas realizadas neste ano as listas de 

espécies das AAVC Taquara e Santa Maria III alcançaram o total de 8 e 13 espécies 

respectivamente (Tabela 2). Nestas áreas foram registradas duas espécies ameaçadas 

de extinção na lista nacional (BRASIL, 2003), o macaco-prego (

Cebus robustus

) (Figura 

3) e o gato-do-mato (

Leopardus

 spp.). 


 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Figura 2: Destaque das cinco Áreas de Alto Valor de Conservação (AAVC) (Taquara, Santa Maria III, Imbiriba, Ipê e Sucupira), propriedades da Veracel Celulose 

– BA, que alcançaram maior valor no parâmetro de qualidade ambiental (ver Relatório Veracel Setembro 2008) selecionadas como prioritárias para 

monitoramento em 2009 e 2010. 


 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 



 

Figura 3: Indivíduo de macaco-prego (

Cebus robustus) fêmea visualizado na AAVC Santa Maria III

Porto Seguro – BA, na campanha de maio 2010. 

 

Reunindo aos resultados obtidos até o momento com o monitoramento das cinco 



AAVC totalizam-se 21 espécies de mamíferos de médio e grande porte (sendo quatro 

ameaçadas de extinção no Brasil), atingindo 48,8% da comunidade de mamíferos de 

médio e grande porte com possível ocorrência para a região de estudo. 

Mesmo considerando as AAVC como um conjunto ainda percebe-se a ausência 

de espécies comuns em fragmentos de pequeno porte, mas que devem ser adicionadas 

as listas locais com a continuidade dos monitoramentos (ex.: quati – 

Nasua nasua

tapiti – 



Sylvilagus brasiliensis

; capivara – 

Hydrochoerus hydrochaeris

). 


Outras espécies que englobam a maioria das ameaçadas podem estar extintas 

nas AAVC ou demandarão esforço de amostragem intenso para um registro eventual, 

estão entre elas o bugio (

Alouatta guariba

), a onça-parda (

Puma concolor

), as 

preguiças (



Bradypus torquatus

 e 


B. variegatus

). 


 



Monitoramento de Fauna e Flora – 2010 

 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

 

 



 

Figura 4 – Espécies registradas nas cinco AAVC (Figura 2), dentre as espécies de mamíferos de médio e grande porte com possível ocorrência na região de 

amostragem. Para identificação das espécies representadas pelas silhuetas verificar Anexos MAS1 e MAS2. 

Criação e desenvolvimento: Rodrigo de A. Nobre e Cleber de S. 

Francisco.

 

*



 

Esta silhueta representa na figura o registro de duas espécies diferentes, o gato-do-mato (

Leopardus spp.) e o gato-mourisco (Puma yagouaroundi); 

**

 



Esta silhueta representa na figura o registro de 

Mazama gouazoubira e possivelmente da outra espécie do gênero M. americana.



*



Поделитесь с Вашими друзьями:


Verilənlər bazası müəlliflik hüququ ilə müdafiə olunur ©www.azkurs.org 2019
rəhbərliyinə müraciət

    Ana səhifə